Vantagem competitiva, diferencial e mais resultados

vantagem-competitiva

Vantagem competitiva: Para ser insubstituível é preciso ser sempre diferente – Coco Chanel

Quando o assunto é ideia de negócio e escolha de nicho, algumas dúvidas podem surgir: “Será que o meu empreendimento irá se destacar?” “Será que o meu produto irá vender?”

Quando estas questões não surgem, geralmente é pelo excesso de confiança em uma ideia, o que tende a fazer tudo descer pelo ralo. Algo como “minha ideia vai bombar e vender milhões”.

Ou então, as dúvidas se tornam tão esmagadoras que causam insegurança e a ideia acaba não indo para a frente. “Tenho medo”, “Não sei se vai dar certo”, “É tudo muito complicado”.

Vamos por parte.

Nem todas as lacunas de mercado são lucrativas, e a maioria das lacunas já não existe, pois já foi preenchida por alguma empresa nova ou já consolidada. Achar espaço no mercado que ainda não foi ocupado é de fato um verdadeiro desafio.

O que fazer então?

A primeira coisa é validar a ideia. Se ela foi testada e pré-aprovada no mercado e se surgiram vendas no MVP (Mínimo Produto Viável) antes mesmo do produto final ser lançado, nada impede de prosseguir com seu projeto. Mesmo que existam outros fazendo o mesmo.

É a velha história de “não precisa reinventar a roda”. Se seu produto, por exemplo, não é 100% original, a originalidade pode ser feita a partir dos diferenciais dele em relação aos concorrentes.

Nesse caso, você pode “criar seu próprio modelo de roda”. Isso é vantagem competitiva!

Mas o que seria essa tal vantagem competitiva?

Vantagem competitiva, ou diferencial competitivo, é um conjunto de aspectos que permitem a uma empresa se diferenciar, entregando mais valor aos seus clientes, em comparação a concorrência e sob a visão dos clientes.

Há duas formas de assegurar vantagem competitiva: ser único ou ser diferente. Como nem todas as empresas podem desfrutar do privilégio de ‘monopolizar’ seus nichos, ser diferente é a estratégia mais recomendada.

Em outras palavras, uma ideia não original pode ser relevante, desde que tenha diferencial. E importante destacar que essa vantagem competitiva deve fazer com que os produtos ou serviços se diferenciem em todos os estágios da produção, desde a extração da matéria-prima até a etapa de pós-venda.

Se não encontrou seu nicho ainda, pode começar por aqui: 13 Modelos de Negócios Digitais Que Vão te Levar A Ter Mais Liberdade!

USP: o caminho para a vantagem competitiva

Parece nome de universidade, mas se trata de uma poderosa arma para conquistar a tal vantagem competitiva. USP é a sigla por trás de “Unique Selling Proposition”, que traduzido quer dizer: “Proposta Única de Vendas”.

Em resumo, é oferecer aos clientes algo que a concorrência simplesmente não oferece ou não é capaz de oferecer. O conceito foi desenvolvido pelo norte-americano Rosser Reeves nos anos 1940. “USPs tangíveis são difíceis de ser copiadas, o que as torna únicas”.

O primeiro benefício que o seu empreendimento alcança com uma Proposta Única de Venda é a preferência e lealdade do consumidor. Fornece a razão perfeita para flexibilizar preços, garantir maior lucro e fazer seu negócio ganhar distância dos concorrentes.

Na visão do marketing

No marketing, diferenciação é a capacidade que uma empresa tem de ser percebida como diferente diante dos seus concorrentes. Ela acontece principalmente por conta das vantagens competitivas que o seu negócio desenvolve.

Para que a diferenciação aconteça, é preciso que se atenda os seguintes critérios: segmentação de mercado e posicionamento de marca. Segmentação é a escolha de um grupo de consumidores com necessidades semelhantes para o qual a empresa vai focar a sua atuação.

Posicionamento é a posição que a empresa ocupa nas mentes dos seus consumidores. Para o seu negócio ser diferente de fato, deve atender os seguintes critérios:

– Importância: oferecer um benefício de alto valor

– Destaque: a oferta deve ser mostrada de maneira destacada, única.

– Superioridade: sua forma de fazer negócios deve ser superior ao que outras empresas praticam.

– Exclusividade: seus processos (design, atendimento, conteúdo) não podem ser facilmente copiados pela concorrência.

– Acessibilidade: o comprador deve poder pagar pela diferença (se não, não faz sentido).

– Lucratividade: deve ser lucrativa para a empresa (se não, não faz sentido 2).

Considerações

Como conclusão, destaco novamente que não é preciso “reinventar as coisas” para o seu negócio fazer sucesso. Se devidamente validada, sua ideia de negócio pode se destacar no mercado a partir de uma vantagem competitiva.

Comece a pensar agora em sua Proposta Única de Vendas e liste todos os seus diferenciais. Se faltarem diferenciais, comece a criá-los, sempre com foco em gerar mais valor para seu consumidor.

Interaja com sua opinião ou deixe uma dívida nos comentários!