Como fazer vendas automáticas usando o marketing digital

como fazer vendas automáticas

Como viemos explicando aqui no blog, a automação de marketing digital é uma ferramenta muito poderosa capaz de aumentar suas vendas e potencializar seus resultados na internet de forma ímpar.

Mas surgem as perguntas: a automação é mesmo capaz de automatizar o processo de vendas?  Dá mesmo para fazer vendas recorrentes e escaláveis com esta ferramenta? A resposta é sim, e nós vamos mostrar como você pode fazer isso!

A chave está na jornada de compra

A jornada de compra é o caminho que o seu cliente passa desde o primeiro contato com seu negócio até finalizar a compra. Esta jornada pode ser feita de diversas formas, e o que determina o processo é sua visão, o modelo de negócios, o perfil de público e até mesmo o produto.

Geralmente os clientes não sabem que estão passando pela jornada de compra. É algo que soa natural e espontâneo para eles, e você pode aproveitar isso para levá-los até a conversão. Claro, desde que isso seja vantajoso para o consumidor. O importante é gerar valor para ele e deixá-lo plenamente satisfeito com a compra.

Para mapear a jornada de compra de maneira efetiva, é importante que você saiba o que dizer, como dizer, quando e onde dizer. Dessa forma, o diálogo se torna mais agradável e mais chamativo para o cliente ao mesmo tempo em que é lucrativo para o seu negócio.

Num modelo padrão, a jornada pode ser dividida em 4 etapas. Para você que busca saber como fazer vendas automáticas, é bom ter ciência de quais são essas fases e como criar uma estratégia e tornar cada passo mais efetivo para levar o seu cliente. Vamos saber mais!

As 4 etapas básicas da jornada de compra

1 – Aprendizado e descoberta

Nesta primeira etapa, o potencial cliente ainda não tem consciência de que tem um problema a ser resolvido ou uma oportunidade de negócio. Você precisa, então, despertar o interesse dele. É nesta fase que o seu marketing de conteúdo deve apresentar o problema e respostas a desafios comuns ao público que você quer atingir.

Você pode criar posts “leves”, com perguntas e respostas, listas (exemplo: x coisas que você não sabia sobre). Assim você atrai o cliente de uma forma mais fácil e tem a chance de iniciar um relacionamento com ele, que pode ser duradouro e benéfico para ambas as partes.

2 – Reconhecimento do problema

Nesta segunda fase, o lead começa a reconhecer os sintomas de um problema que enfrenta, mas que não identificou especificamente quais são as causas. Há nele um desconforto, uma necessidade, mas que ainda precisa ser melhor explicada.

Os visitantes, nesta etapa, precisam ser atraídos para os canais de comunicação da sua empresa (site, blog, redes sociais) para serem identificados como leads. Logo, é hora de oferecer conteúdos mais de “topo de funil” (artigos conceituais, listas, respostas a questionamentos, etc.), por meio de artigos, vídeos, webinários etc.

Uma vez que o conteúdo ajude o público a diagnosticar o problema, é hora de entregar a ele o que chamamos de “ímã de lead”, um conteúdo mais profundo em troca dos dados de contato. Pode ser um e-book, por exemplo. É aqui que a automação de marketing começa a ter um papel fundamental.

3 – Consideração da solução

Neste terceiro estágio, o lead já tem consciência do problema e está pronto para procurar as soluções. Destacamos que não há nele necessariamente um desejo de compra do produto ou serviço que sua empresa oferece, daí a importância de seguir alimentando este lead com informações úteis.

Os conteúdos lançados para esta etapa são chamados de “nutrição” e precisam estar alinhados com a fase em que o lead se encontra dentro da jornada de compra. Ao chegar na fase de consideração, a pessoa precisa aprender a escolher a solução para suas necessidades, se sensibilizar com as vantagens de fazer um investimento. Esta é uma fase delicada do processo de como fazer vendas automáticas.

Aqui, as campanhas de e-mail marketing tem um papel importantíssimo. Como o lead já conhece a empresa, já tem um certo relacionamento com a solução e está considerando as opções, você deve enviar e-mails persuasivos com mais informações relevantes, fornecendo “gatilhos” adicionais, todos com o intuito de mostrar os seus diferenciais, sua autoridade no assunto, depoimentos de clientes (prova social), etc.

4 – Decisão de compra

A decisão é a vitória, o clímax, que acontece quando o lead já passou por todas as outras etapas e está pronto para adquirir a solução para seu problema. Ou seja, o produto ou serviço que você oferece. É bom ter sempre em mente que seus concorrentes estão de olho no lead, e é preciso, portanto, agir certo para vender rápido.  

Para trazer o lead para você, sempre ofereça algo a mais. Algumas ideias funcionam muito bem: testes, consultoria, amostra grátis, bônus, atendimento personalizado, etc. Quanto a isso, não se prenda, use e abuse da criatividade para fazer a pessoa se sentir interessada em adquirir o seu produto e não o dos concorrentes.

Nesta etapa da jornada de compra, é importante ter sua oferta bem construída. No mercado digital, quando usamos o processo para automatizar as vendas, deixamos a página de vendas com o copywriting bem escrito, para persuadir o lead a adquirir o que vendemos. Em alguns negócios, a automação de marketing digital vai até esta fase, onde a equipe comercial entra em cena para garantir a conversão.

Esse é o processo de como fazer vendas automáticas

como fazer vendas automáticas

Finalmente, se tudo foi feito corretamente, o lead se tornará um cliente. Daí em diante, para mantê-lo fiel à marca e fazer vendas de outros produtos, é preciso transformar novamente este cliente em lead e fazer com que ele percorra todas as etapas da jornada de compra outra vez.

Muito interessante, não é mesmo? Sim, é dessa forma que muitos aprender como fazer vendas automáticas. Você faz uma união entre automação de marketing e criação de conteúdo personalizado com alto valor agregado e leva o visitante automaticamente à conversão.

Imaginamos que você já esteja ansioso para botar isso em prática, mas calma, ainda temos algumas dicas matadoras para você aplicar ( a quarta é decisiva)…

Dica # 1 – Venda o que o cliente quer, entregue o ele precisa

A maior vendedor é aquele que vende aquilo que o cliente quer e entrega o que ele precisa. Esse é um princípio de negócios que muitos empreendedores e profissionais de marketing praticam, que dá muito certo, e que você pode testar.

As melhores vendas, e as que principalmente precisam da jornada de compra, são as que você precisa mostrar ao seu cliente que você tem o que ele quer, que o seu produto e o seu serviço são feitos sob medida para ele. Depois que ele comprar, é hora de dar a ele o que ele realmente necessita.

Dica #2 – Faça o cliente reconhecer que você tem o melhor para ele

Mostrar ao cliente que ele precisa do seu produto é a parte mais fácil do processo, as coisas complicam quando você precisa que ele esteja realmente convencido de que precisa do seu produto.

A partir deste momento é que ele vai começar a procurar saber de valores e de condições para contratar um serviço ou comprar um produto. Por isso que é importante que você gere valor ao máximo antes da fase de venda e que apresente o máximo de vantagens na hora que ele chegar nessa etapa.

Dica #3 – Ouça os clientes

Quer aprender como fazer vendas automáticas? Ouça o seu cliente. Sempre esteja atento ao que seu cliente quer e necessita. Você pode fazer pesquisas através de enquetes, monitoramento de redes sociais, ou SAC 2.0. Observe preste o que seus consumidores falam sobre você na internet. Você pode descobrir muitas coisas que podem ser melhoradas. Além do mais, seus seguidores e fãs podem ser grandes influenciadores na decisão de compra de outras pessoas.

A verdade é que não existe fórmula perfeita para fazer com que as conversões cresçam, mas seguindo estas dicas você vai ampliar as possibilidades. O grande segredo, na verdade, é sempre conhecer o que o seu consumidor deseja e criar mecanismos para que ele faça isso facilmente.

Dica #4 – Adote uma boa ferramenta de automação

Adote uma boa ferramenta de automação de marketing. A ideia é que você tenha tudo em mãos para gerar e administrar sua lista, ou seja, seus contatos qualificados. O legal é que você pode gerenciar todo o sistema com uma facilidade incrível, gerando novas oportunidades de vendas e formando relacionamento com seus leads.

Existem “ferramentas tudo em um” que apresentam uma série de recursos que você pode usar para criar seus funis de vendas, configurar suas páginas de conversão, tanto para gerar leads, quanto para fazer vendas. A Lead Lovers é um ótimo exemplo!

Agora você já sabe como fazer vendas automáticas através usando o marketing digital!