Monetizze – Como Tudo Começou

PUBLICIDADE

 

MONETIZZE: O COMEÇO MISTERIOSO | Marcio Motta FUNDADOR da Monetizze ABRE O JOGO

Em um bate papo no encontro do meu grupo de mastermind, o Mentalidade Master, nós descobrimos como tudo começou na plataforma Monetizze. 

O início de tudo:

PUBLICIDADE

“Eu não tinha dinheiro, na época. Tava devendo no banco, vendi um carro pra comprar outro mais barato e conseguir pagar a fatura do cartão do mês… 

A ideia veio em 2013, depois que eu fui na primeira edição do Afiliados Brasil e o Rafael Rezz que, na época, fazia parte da equipe do Afiliados Brasil, me chamou e sugeriu de eu fazer uma plataforma de afiliados, que o mercado estava crescendo muito, com esse evento ia atrair mais gente ainda pra esse mercado, então valia a pena. 

E eu resolvi fazer, levei a ideia pra frente e comecei a desenvolver. A ideia originalmente não é minha, mas eu acreditei e levei pra frente. 

Com 16 anos, eu descobri o que era programação e me encantei. Porque você escrevia um código e o computador obedecia exatamente o que você programou.” 

As dificuldades: 

Parece que foi simples o processo com “Ah, vou criar essa plataforma” e em pouco tempo depois já estava milionário. Mas não foi tão simples assim. 

Marmotta

“Os primeiros obstáculos era porque eu tinha um emprego, trabalhando 8 horas por dia como programador em uma empresa; 

A minha ideia do projeto era ter programadores trabalhando pra mim e eu gerenciava a noite, depois do meu trabalho, olhava o que a equipe tinha feito. 

Mas eu não consegui investidores, então não tinha como eu contratar ninguém. Não tinha dinheiro. 

Metade da minha vida meu nome estava no SPC. A outra metade eu tinha menos de 18 e eles não deixavam colocar… (risos)

Como eu não tinha dinheiro pra contratar os programadores, eu mesmo tinha que desenvolver, comecei a pensar “E se eu acordar mais cedo?” Ao invés de acordar 7/7:30, eu acordar 4:30 ou 3:30 da manhã? E programar até a hora de ir pro trabalho… Depois dormir um pouco mais tarde… 

Aí eu comecei a fazer isso. Já que eu não podia contratar ninguém, eu mesmo tinha que fazer. Mas eu não podia largar o outro emprego, porque tinha família pra sustentar, cheio de dívida, já tinha 1 filho e minha esposa estava grávida do segundo. 

Trabalhava 18h, 20h por dia. Dormia entre 3 e 4 horas por dia. 

Essa rotina durou 3 anos. Mas não foram os 365 dias do ano assim. Ninguém é super humano. Depois de um tempo eu passava o domingo com a minha família. Mas trabalhava nessa rotina. Só que de a cada 15 dias, mais ou menos, dava um “piripaque” no corpo e eu não conseguia fazer nada, por excesso de trabalho e falta de sono. 

A cada 15 dias eu passava 24h na cama, com dor de cabeça, tontura, passando mal… Eu sabia que era por excesso de trabalho, mas quando passava, eu voltava a trabalhar. 

E foram 3 anos assim. 

Depois eu comecei a ter mais dinheiro pra contratar, saí da empresa que eu trabalhava e comecei a ter uma rotina mais tranquila de 10-12h de trabalho por dia.”

Ele pensava que não ia dar… 

“ O certo é você fazer o plano de negócio. Pegar o DRE futuro, o que você espera… Mas eu não sabia nada disso. Nem sabia o que é DRE. 

Mas quando eu começava a conversar com alguém sobre isso e perguntava: “Quantos afiliados sua plataforma tem que ter, quantos produtos tem que ter, quantas vendas cada afiliado tem que fazer pra poder pagar as contas?” 

Eu comecei a fazer as contas e pensei “Vou parar. Porque eu não vou conseguir fazer isso não.” 

Então se eu ficasse vendo esses números eu desanimaria. Porque se eu pensasse “Ah, a cada mês eu preciso de 40 novos afiliados com cada um fazendo 3 vendas por dia” Só que pra conseguir 40 afiliados, eu teria que ter, sei lá, 600 novos cadastros, pra conseguir 30-40 afiliados pra cada um fazer 1 venda. E pra conseguir 600 cadastros, precisa de quantos leads? uns 6.000 – 10.000… 

Ai começava a ver números muito altos que eu não tinha dinheiro pra investir pra isso e ficava distante. 

Então eu preferi fazer por fazer. Eu pensava “Vou fazer e acho que vai dar certo e pronto. Vou na confiança…” . 

E tem uma frase que eu até tatuei no braço “Não é questão de se, mas quando…”. Então eu sabia que se eu não desistir, ia dar certo. Só poderia demorar um pouco mais. 

Como eu não tinha investidor pra acelerar as coisas, eu sabia que ia dar certo uma hora, era nisso que eu acreditava e não fiz cálculos.” 

Quanto tempo até pagar o custo básico da empresa?

A monetizze foi ao ar dia 6 de abril de 2015. O custo que tive dela sempre foi só um servidor de 300 reais na Amazon. 

Na época, era um absurdo pra mim. Mas eu pagava do meu salário até ela ir pro ar. Porque não tinha como faturar sem ela ir pro ar. 

Quando ela foi pro ar, no primeiro mês, a Monetizze faturou 500 reais de taxa, então teve 200 reais de lucro. 

Até hoje, ela não fechou 1 mês no vermelho. O break-even foi já no primeiro mês. 

Mas isso porque eu gastava pouco. Eu tinha essa consciência. Eu não tirava salário, eu não tinha funcionário, eu trabalhava muito, mas eu não tirava nada pra mim. 

Basicamente, do início do desenvolvimento até ela ir pro ar, foi 2 anos. Depois mais 1 ano que eu fiquei nessa de trabalhar muito porque eu não tinha funcionário, não tinha condição de pagar funcionário. 

Com 200 reais não tinha como pagar ninguém pra trabalhar. Tinha que ser eu. 

Foi aumentando a cada mês e eu fique até dezembro de 2015 sem tirar 1 centavo da Monetizze. Não tirava salário nem nada. 

O dinheiro ficava lá, e eu tinha que viver, cheio de dívida, aluguel atrasava, conta de luz atrasava, eu tinha dinheiro na empresa pra pagar, mas eu sabia que a Monetizze era a Monetizze e a minha vida pessoal era a minha vida pessoal. 

Eu posso me ferrar na vida pessoal, mas não vou ferrar minha empresa.  

Em dezembro de 2015, ela já estava com um caixa bom que foi quando eu pude tirar uma grana pra limpar meu nome.”

Precisa investir muito pra começar? 

Muitas vezes pensamos que pra começar uma empresa precisa de muito dinheiro pra investir, pra dar o start… Como que a monetizze começou? Qual o valor? 

“Não tinha. Quando eu comecei a desenvolver a Monetizze eu lembro que devia 8 mil reais de cartão de crédito, o aluguel estava atrasado… 

Sabe aquele sorteio de boleto? Eu fazia isso.

Eu falava “Esse mês paga a conta de luz que já está 2 meses atrasado, deixa o aluguel atrasar e mês que vem eu pago o aluguel, porque mês passado eu já paguei a luz, e deixa atrasar de novo.” 

Era isso. Cada mês pagava uma conta diferente e deixava atrasar a outra. Então eu não tinha 1 centavo. Era trabalho próprio mesmo. 

Claro que se eu tivesse um investidor, teria me ajudado. Mas aí eu teria um patrão. Porque ter investidor é isso, é ter um chefe.”

Se tivesse tido um investidor no começo, seria melhor? 

“Se eu tivesse tido um investidor que colocasse muito dinheiro, eu acho que a Monetizze não estaria onde está hoje, pelo fato de desleixar por achar que tem dinheiro. 

Eu já investi em algumas startups e eu já vi algumas startups não avançarem pelo fato delas terem dinheiro no banco.

Porque o empreendedor quando não tem o dinheiro e ele acredita, ele dá o sangue. Quando passa a ter dinheiro, complica um pouco. Já relaxa. 

“Já tenho grana, já consigo pagar as contas…” 

Quando você não tem, quando passa aperto, é onde você inventa as coisas, se vira e tem que fazer dar certo. 

Eu acho que se eu tivesse conseguido grana, eu não teria chegado onde estou hoje. Não tenho certeza, mas eu acho que teria desleixado um pouco no desenvolvimento.” 

Já pensou em desistir? 

“Muita gente já me perguntou se eu desisti. Na verdade, eu já desisti. 3 vezes. Eu não pensei em desistir, eu realmente desisti da Monetizze. 

Tiveram 3 momentos que eu desisti. Eu não sei exatamente a data, mas 2 vezes foram durante o desenvolvimento e uma depois que ela já estava no ar. 

No desenvolvimento teve uma época que eu fiquei 2 meses sem mexer no código. E eu já tinha feito o maior barulho na internet falando que ia fazer, que ia ser boa… 

Em 2014 eu já tinha colocado o stand no Afiliados Brasil mas ela não estava pronta. As pessoas perguntavam “E aí?” e eu falava “ “Nós” vamos lançar o beta daqui a pouco…”

Eu perguntava pra galera o que elas queriam que tivesse na plataforma e falava que ia sair em alguns meses. Era o meu MVP (produto mínimo viável) mas sem o “P”. 

E a galera falava o que estava acontecendo no mercado, o que não tinha na concorrência, o que eles queriam ter e eu anotava tudo num caderninho pra desenvolver. 

Então muitas pessoas já sabiam que eu estava desenvolvendo a Monetizze. 

E em 2014, quando eu desisti, eu ia dormir pensando no que eu ia falar. Porque o pessoal cobrava. Eu ficava pensando “Como que eu falo que não vou fazer? Como que eu falo que eu vou desistir do projeto?” 

Até que um dia eu acordei e lembrei dessa frase que eu falei: “Não é questão de si, mas quando…” 

Aí eu pensei “Se eu desistir, aí que eu fali mesmo. Aí que eu fracassei. Se eu continuar uma hora vai dar certo.”. Aí voltei a trabalhar no desenvolvimento dela. 

Outra vez foi quando ela lançou, meu concorrente já era grande no mercado, era o únco e ninguém confiava na Monetizze. Porque quando lançou era uma empresa de um homem só, era Eu S.A, uma EuPresa. 

Então o pessoal não tinha confiança de pegar um produto que ia fazer um lançamento e colocar na empresa que é só um cara que acabou de colocar a plataforma no ar. 

Eles estavam certos, era o dinheiro deles. Realmente é difícil de confiar, 

Mas aí um amigo meu fez um pré-lançamento, cadastrou o produto na Monetizze, fez algumas vendas pra ver se estava tudo certo, começou a entrar dinheiro… Mas no dia do lançamento mesmo ele migrou pro concorrente. 

Foi aí que o faturamento da Monetizze caiu demais, porque esse produtor era um dos que mais vendia. 

Foi um momento que eu desisti. Fiquei uma semana pensando em como eu ia fechar a empresa. 

Muitas pessoas desistem. Eu desisti. É normal quando você vê uma barreira e pensa que é impossível. 

Mas eu só voltei porque eu pensei que se eu não continuasse, eu nunca ia saber se ia dar certo. 

Quando eu vi que o pessoal não estava tendo confiança, eu entendi. Eles estavam certo. Eu tinha acabado de lançar a plataforma, a empresa era só eu. 

Então eu comecei a me relacionar com as pessoas. Até que elas foram pra plataforma pelo relacionamento que elas tinham comigo. Nem tanto pela empresa. 

Então começaram a criar confiança no Márcio e começaram a migrar os produtos, começou a dar certo, cada vez que vinha um produtos, trazia afiliados, aí os afiliados falavam com outro produtor que gostaram da Monetizze, pra ele migrar o produto e começou a virar aquela bola de neve de indicação e aí foi dando certo.”

Eu tenho uma paráfrase do Bruce Lee, que ele fala “Be like water” (Seja como água) e eu visualizei isso como a vida do empreendedor. 

O que é ser como água? A água sempre encontra um caminho. Se você tenta prender a água, não tem saída, ela evapora, os rios encontram os caminhos pra chegar no mar e assim sucessivamente. 

Então a água sempre encontra um caminho. Ser como água é isso. É entender que existe um jeito, existe um caminho, existe um espaço que você pode ocupar e que você pode achar esse lugar. 

Marmotta:

“O pessoal tem que ter em mente que, nem sempre, vai ser do jeito que você planejou. Provavelmente vai ser bem pior. Mas o que você tem que saber é: “Beleza, eu planejei isso, eu queria isso e deu errado. Onde eu errei? O que eu posso fazer pra melhorar?” 

E a cada dia ir tentando melhorar e assim você faz dar certo. É a persistência em tentar ser melhor que você e não melhor que o outro. A gente tem que ser melhor que a gente a cada dia que passa. 

E aí a gente consegue contornar os problemas de empreendedor e fazer dar certo.” 

Qual foi o ponto de virada da Monetizze? 

“A empresa começou a crescer, a dar dinheiro, eu podendo contratar pessoas, o primeiro problema que eu passei era como formar uma equipe de T.I. 

Porque a plataforma é muito sensível nessa área, por mexer com dinheiro de outras pessoas. Então mesmo que um programador seja muito bom, você não conhece ele, ele pode ter má índole… 

Então eu ficava pensando em como contratar pessoas de confiança. 

Eu entrei no dilema do “tempo é dinheiro” pensado: “Eu posso gastar muita grana agora e economizar tempo ou eu posso criar essa equipe com calma e gastar mais tempo.” 

E o “gastar mais dinheiro e menos tempo” era comprar a empresa de T.I que eu trabalhava antes e migrar o pessoal de lá pra dentro da Monetizze, que eu trabalhei por 14 anos, que eu confiava. 

A história com essa empresa é engraçada. 

O antigo dono dessa empresa que eu trabalhava é meu sócio, hoje na Monetizze. 

Começou assim: Eu trabalhava nessa empresa e estava desenvolvendo a Monetizze. E eu tava precisando de grana pra pagar uma dívida. Ele tinha tirado um carro pra mim, eu pagava todo mês pra ele, mas tava apertando. 

Em 2015, um pouco antes dela ir pro ar, eu cheguei pra ele e falei: “O, Neilson, eu tô te devendo uma grana ai. Abate essa grana e eu te dou uma porcentagem da Monetizze.” 

Ele falou: “Tá, mas o que é a Monetizze? Eu vejo você falar, eu vejo você desenvolver, mas o que é isso?” 

Aí fomos pra um almoço e eu expliquei o que era, o mercado de afiliados, como funciona, e etc. 

Aí ele falou: “Tá beleza. Mas quanto a sua empresa fatura? Pra eu ver aqui quanto vale…”

A minha resposta foi: “Nada… Mas vai valer muito. Você vai estar comprando uma empresa que hoje não vale nada, mas vai valer muito.”. 

Ele acreditou e abonou a minha dívida. Ficou com uma parte da Monetizze, mas continuou tocando a empresa dele. 

Em 2016, eu saí da empresa dele porque a Monetizze já pagava o mesmo salário que eu recebia na empresa dele e já me sustentava. 

Em 2017 eu ofereci pra ele a compra da empresa. Ele aceitou, fiz o investimento. 

E o engraçado foi a reunião na ViaNet depois de eu comprar ela. Porque quando começou, era eu, ele e o irmão dele. Quando eu saí, tinha 45 funcionários. 

Então quando eu voltei, todo mundo me conhecia. Quando fizemos a reunião geral e todos me viram, falaram: “Márcio voltou. Vai trabalhar aqui…” 

Aí eu falei: “É, gente. Eu voltei pra empresa. Mas agora eu que sou o dono…”. 

Foi a partir daí que começamos a crescer cada vez mais.”

Da garagem de casa à empresa com centenas de funcionários 

Eu fui pra garagem porque eu tinha um filho de 5 anos e o outro tinha acabado de nascer. E eles começaram a perguntar “Cadê o pai?”. Então se eu estivesse em casa, eles iriam querer a atenção do pai. 

Eu nunca falei com meus filhos “Papai tá trabalhando agora. Depois eu brinco com você”. Se eu estivesse trabalhando e eles quisessem brincar, eu parava de trabalhar, dava atenção pra eles, distraia, entregava pra mãe e voltava pra trabalhar. 

Só que isso começou a atrapalhar, porque criança não entende. Então eu preferi ficar distante, pra eles não me verem, não sentirem vontade de brincar, e eu fui pra garagem. 

Então eu chegava do emprego na empresa, e ficava direto na garagem em um lugar que eu preparei lá. Só mandava mensagem pra minha esposa avisando que já tinha chegado. Aí eu trabalhava até umas 11 horas da noite, acordava 3 da manhã e voltava a trabalhar. 

Mas é por isso que a Monetizze começou na garagem e hoje temos uma sede com 1.800m², 214 funcionários (Até o momento desse bate papo).”

Dica pra quem está começando: 

“Primeira coisa é estudar e definir suas prioridades. Saiba o que é importante pra você. Mas importante, não é, por exemplo, se você está endividado, o mais importante é pagar a dívida. Só que você não tem dinheiro pra pagar a dívida. Então você tem que pensar no futuro. 

“Se eu fizer esse projeto, vou conseguir pagar minhas dívidas.” Então foca no projeto e pensa menos em outras coisas. 

Nesse período que eu trabalhava desenvolvendo a Monetizze eu não tirava férias, eu não saia no carnaval, nada. Eu aproveitava que não tinha que trabalhar na outra empresa e trabalhava a mais pra Monetizze. 

O que você quer hoje pra poder desfrutar de um futuro melhor? Você vai ter que sacrificar. Sem sacrificar, você não vai conseguir. 

Uma coisa que ninguém vai fazer por você é o seu trabalho. Então se vira pra dar certo. 

Você tem que ter uma ideia, focar nela e ir até o fim. 

Às vezes as pessoas falam que não pode desistir. Eu acho que não tem problema desistir. Porque se você desistiu, é porque você não acreditava de verdade. Se você não acreditar, não tem como dar certo.

Se você acredita, esquece os problemas. Foca na solução.”

Essa foi a história da Monetizze. 

PUBLICIDADE