6 Mitos Sobre Recorrência | Programa de Assinatura

PUBLICIDADE

Os 6 mitos de um negócio de assinatura | Recorrência

Nesse artigo eu vou desmascarar 6 grandes mitos de uma recorrência que assombra muitos empreendedores digitais ao pensarem em criar um programa de assinatura. 

Não é mais difícil vender uma assinatura do que um curso ‘one off’ (paga 1 vez e tem acesso vitalício) 

Não. É mais fácil, porque o tempo está ao seu favor. 

PUBLICIDADE

Em uma assinatura, você tem muito mais chances de fazer ofertas, propostas comerciais, pelo fato de sempre ter algo novo no seu programa. 

Então, se você fez uma campanha de vendas pra 10 mil pessoas, por exemplo, e você vendeu pra 100(um número hipotético e baixo). Então, você tem 9.990 chances de fazer novas ofertas para aquelas pessoas que não compraram na primeira. 

Como uma recorrência é algo que é vivo, não algo que você empacotou e deixou fixo, imóvel e desatualizado, você aumenta as possibilidades de vendas, você tem vários ângulos pra ofertar pras pessoas.

Além de poder vender planos variáveis, como planos anuais, semestrais, trimestrais e mensais. 

Você não precisa ter o conhecimento e criar o conteúdo pra ter uma assinatura

Como assim? 

A primeira coisa que você tem que ter na cabeça, se pensa que não tem conhecimento o suficiente, é que não precisa ser você a pessoa que tem o conteúdo. 

Você pode ter outra pessoa que faça isso. Escritores, palestrantes, especialistas etc, que só precisam de uma proposta de uma pessoa que tenha o conhecimento técnico pra criar a assinatura e cuidar da parte técnica e operacional. 

Quem não quer mais uma fonte de renda de milhares de reais (ou até milhões) na conta todos os meses pra continuar fazendo o que faz, ensinar o que ensina e falar sobre o que gosta? 

Ou você pode pegar um hobbie que você tem e transformar em uma assinatura (vou falar sobre nichos daqui a pouco).

Você não precisa de muito conteúdo 

Às vezes, você pode estar pensando que, pra ter um programa de assinatura, tem que produzir muito conteúdo e entregar de uma vez. 

E eu posso te afirmar que não. 

Eu já assinei um programa, que hoje é muito grande, que, quando ele foi lançado, ele não tinha absolutamente nada. Só uma promessa que em alguns dias, teria algum conteúdo lá. 

Essa plataforma é o MeuSucesso.com… Começou sem nada. 

E à medida que o tempo vai passando, tudo vai melhorando e, por mais contra-intuitivo que possa parecer, vai ficando mais barato. 

Como assim mais barato? 

Em relação ao valor que você entrega dentro da assinatura, se você for comprar tudo separado, você pagaria muito mais caro.

Além disso, o conteúdo é uma armadilha.

Se você ficar pensando que vai precisar produzir muito, você pode se travar e acabar não fazendo nada. 

Eu recomendo você escrever um plano de conteúdo e vai produzindo à medida que você escuta os feedbacks do assinantes.

Cabe todos os tipos de nicho num programa de assinatura

Eu não tinha tanta certeza assim, mas passei a acreditar de verdade que é possível depois de um evento de programas de assinatura que fui no canadá.

Eu estava assistindo uma senhora no palco falando sobre a assinatura dela. E ela falou que o programa de assinatura de mulheres que são pintoras de maçaneta de porta. 

Eu tava com uma outra brasileira do meu lado e eu perguntei o que a mulher que estava palestrando falou, porque eu achei que não tinha entendido direito. 

Ela me confirmou que era realmente pintoras de maçaneta de porta, que é um subnicho de artesanato e que era um tipo de terapia ocupacional. 

E a criadora dessa assinatura tinha 300 assinantes ( na época do evento ) e tinha feito um evento ao vivo para 100 mulheres.

Além desse, eu conheci um outro cara de Londres que tem uma assinatura de motociclistas que encontram autódromos pra correr. É uma comunidade que tem autódromos liberados pra correr em alta velocidade, e as pessoas pagam uma mensalidade pra ter acesso a essas informações. 

E temos clientes na Mentalidade Empreendedora do nicho de pet, fitness, odontologia, advocacia, tributarista(subnicho de advocacia), médicos, engenheiros, arquitetos, desenvolvimento pessoal e suas ramificações (sucesso, espiritualidade, coach, inteligência emocional, PNL etc), mercado financeiro etc. 

De produtos físicos têm de ovo, lâmina de barbear, papel higiênico, meias pretas, livros, vinhos, lente de contato com vitamina… 

O mito do cancelamento 

Sim, o cancelamento existe. Se você trabalha com assinatura, você precisa aprender a lidar com ele. 

Temos táticas pra evitar, pra diminuir, pra bloquear em alguns aspectos o cancelamento. No mínimo 40 táticas mapeadas e sempre surgem novas. 

Numa assinatura o cancelamento só é mais evidente. Num produto vitalício, existe um cancelamento mascarado pela inatividade, pela não recompra, pela pessoa não usar o produto.

Por exemplo, um escritor, quando escreve um livro, não quer que a pessoa compre o livro e nunca leia, Ele quer que a pessoa leia, compre outros livros, recomende…

O mesmo acontece com produtos digitais. 

Na assinatura, você tem a oportunidade de dar um boost nisso e fazer com que o seu cliente fique mais perto, acompanhe, aplique, interaja, esteja presente… Não é simplesmente “coloque o cartão e esqueça” como algumas vendas de produto vitalício. Isso é um pensamento ruim. 

Assinatura não é o contrário de lançamento

O lançamento, falado no marketing digital, é uma forma de vender. É uma tática que você gera valor e expectativa, abre a oportunidade de compra e depois fecha. 

Isso pode ser usado pra vender assinatura. Assinatura é modelo de negócio, de cobrança. Você pode juntar essas duas coisas, você pode lançar assinatura. 

Ou você pode vender no perpétuo, também. 

Entrando em modelo de vendas, tem o modelo que abre e fecha (lançamento) e o modelo sempre aberto, que sempre tem a possibilidade de comprar (perpétuo). 

É mais comum você encontrar assinaturas em modelo perpétuo. Quando você quiser, você assina. Mas não é incomum você encontrar assinaturas fechadas. 

Às vezes até contra intuitivo. Você tem ela aberta e, de repente, você fecha. 

E se alguém quiser assinar? 

Entra na lista de espera e aguarda a abertura. Isso da um boost. 

A assinatura ganha de produtos que você vende uma vez só

Um caso prático disso é de um membro do Mentalidade Master que vendeu um produto de R$100,00 reais que deu muito certo e ele se deu mal. 

Ele faturou, aproximadamente R$1.064.000,00 reais. Sim, um milhão e sessenta e quatro mil reais. E quebrou. 

Como isso foi possível: 

Não tinha recompra. O suporte demandado dessas milhares de vendas era muito maior do que o que ele oferecia pelo preço que foi cobrado. 

Se isso fosse uma assinatura de 100 reais por mês, ele faria um milhão todos os meses. 

Então a assinatura ganha de um produto de venda única. Seja lançamento ou perpétuo. 

Porque mês que vem tem denovo, ou trimestre ou semestre ou ano que vem, as mesmas pessoas recompram. 

Você pode trabalhar com múltiplas assinaturas 

Você não tem que estar preso a só uma assinatura. Você pode ter uma assinatura que é uma base e novas assinaturas que são oferecidos novos níveis de ajuda, acompanhamento, suporte, níveis pras pessoas continuarem comprando e continuando a avançar com você. 

>>> Seja membro do Business Hacker e crie seu programa de assinatura <<<< 

PUBLICIDADE